Visão científica sobre o Reiki: o que a ciência diz?

Visão científica sobre o Reiki

Por trabalhar com uma metodologia distinta da medicina tradicional, o Reiki ainda é alvo da descrença para muitas pessoas. Entretanto, a própria ciência já se encarregou de determinar como essa terapia alternativa afeta a vida dos pacientes. Vamos entender a visão científica sobre o Reiki, o que os dados conclusivos garantem a respeito da terapia, e o que a ciência diz.

O embasamento existe

Em suma, a visão científica sobre o Reiki constatou que a terapia concede efeitos extremamente benéficos aos pacientes atendidos.

Anos atrás esse tipo de pesquisa costumava ser bastante restrita aos pesquisadores de universidades orientais, dada a origem do Reiki. Contudo, pesquisadores americanos, europeus e brasileiros possuem um vasto material de estudo a respeito da terapia.

Na última década vários tratamentos alternativos, como o Reiki e acupuntura, foram estudados por diversas equipes. Com o intuito de determinar o funcionamento dessas terapias, os pesquisadores elaboraram um plano de observação para comprovar tal eficácia. Assim, os testes realizados puderam fornecer informações concretas a respeito dos efeitos desse tipo de tratamento.

Logo, a OMS reconheceu o valor desse trabalho terapêutico ao ponto de formalizar o Reiki como prática medicinal alternativa. No Brasil, o SUS disponibiliza o acesso para o público ser devidamente atendido tanto com o Reiki, quanto por diversas outras intervenções terapêuticas.

O experimento

Ricardo Monezi, psicobiólogo, deu a sua visão científica sobre o Reiki ao testar o tratamento em ratos com câncer. Segundo ele, “o animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador.

A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”. Por causa de qualquer desconexão com crença religiosa que o Reiki foi escolhido por ele.

Nesse experimento os pesquisadores dividiram 60 ratos com tumores em três grupos. Enquanto o primeiro grupo não recebeu tratamento, o segundo grupo recebeu Reiki por meio de um par de luvas preso a um cabo de madeira.

Por sua vez, o último grupo recebeu o tratamento de Reiki com uma pessoa impondo as mãos sobre ele.

Visão científica sobre Reiki por meio do experimento

Após essa etapa, os pesquisadores avaliaram a resposta imunológica dos ratos para destruir células cancerígenas.

Os ratos que receberam o Reiki de modo tradicional demonstraram uma maior atividade dos glóbulos brancos e células imunológicas.

Em outras palavras, quem recebeu a energia Reiki pôde reconhecer e destruir as células do tumor presentes em seu corpo.

Identidade energética

A combinação de Reiki e Ciência ainda não conseguiu distinguir a natureza energética do Reiki, segundo Ricardo Monezi. Ele e a sua equipe não sabem ainda se a energia universal usada na terapia é elétrica, magnética ou eletromagnética.

Contudo, Ricardo aponta para alguns artigos que descrevem essa força como “energia sutil” de natureza ainda desconhecida.

Ademais, Monezi acrescenta que essa energia produz ondas físicas capazes de influenciar a ativação de células de defesa e hormônios.

Assim, Ricardo e a sua equipe concluíram que as mudanças do grupo que recebeu o Reiki não são decorrentes de efeito placebo.

A visão científica sobre o Reiki x o efeito placebo

Assim como acontece em outras terapias, o Reiki é alvo de desconfiança por parte de alguns céticos. De acordo com esse grupo, a terapia não passa de um placebo, atuando diretamente na percepção sobre o estado de saúde.

O efeito sobre a parte patológica seria inexistente, fazendo com que o paciente permaneça com a sua dor adormecida.

Entretanto, como dito no parágrafo anterior, os efeitos da terapia sobre agentes malignos da saúde foi comprovado por pesquisadores.

Leia também:  Visão científica sobre o Reiki: o que a ciência diz?

A visão científica sobre o Reiki possui dados suficientes para defender a continuidade desse método terapêutico em pessoas necessitadas.

Por meio de pesquisas nós podemos encontrar uma alta taxa de sucesso no tratamento dos pacientes.

Estudos em seres humanos

A visão científica sobre o Reiki de Ricardo Monezi e sua equipe já começou a estudar a terapia em seres humanos. Mesmo que a pesquisa não esteja completa, o grupo de 16 participantes demonstrou resultados significativamente positivos. Alguns dados ainda precisam ser aprimorados, mas foi constatado uma melhora generalizada em cada um dos pacientes.

Por exemplo, os pacientes demonstraram uma redução significativa dos sintomas de depressão e ansiedade. Além disso, a qualidade de vida aumentou bastante, de modo que eles pudessem retomar atividades importantes e sentissem mais prazer em ser produtivos. Ademais, pessoas incapacitadas por dores crônicas tiveram alívio dos seus sintomas mais aparentes.

Apoios científicos ao Reiki

A visão científica sobre o Reiki de Ricardo Monezi faz parte de um grande movimento científico espalhado pelo país. Além de Monezi, outros pesquisadores se empenham na avaliação dos efeitos das terapias alternativas, como o Reiki e acupuntura. Dentre os mais conhecidos, podemos citar:

Elisa Harumi

Assim como Ricardo, Elisa Harumi é uma psicobióloga muito bem destacada na área pelos estudos que gerencia. Mais precisamente, Harumi se dedica na avaliação sobre os efeitos do Reiki em pacientes que precisam de quimioterapia.

Os resultados têm se mostrado muito promissores e Harumi tem desvendado cada vez mais o mecanismo da terapia reikiana.

Flávia Freire

Flávia Freire é doutora em acupuntura e no seu trabalho notou uma melhora significativa na saúde dos pacientes atendidos. De acordo com ela, pacientes com apneia do sono que foram tratados com agulhas melhoraram em quase 60%. Logo, as terapias alternativas servem como um auxílio formidável para amenizar sintomas mais complexos de muitos problemas de saúde.

Visão científica sobre o Reiki e benefícios comprovados

Diversos pesquisadores com visão científica sobre o Reiki puderam constatar os muitos benefícios da terapia. O trabalho sempre considera a duração da sessão e o problema de cada paciente em específico. Embora cada demanda seja única, os pesquisadores puderam observar nos pacientes atendidos:

  • diminuição significativa do estresse;
  • fortalecimento do sistema imunológico, melhorando a resposta do corpo contra doenças
  • alívio da dor sentida, inclusive a crônica;
  • sensação de paz e tranquilidade, já que a terapia influencia na produção de hormônios que causam bom humor;
  • reforço aos tratamentos médicos convencionais, melhorando e muito os resultados de procedimentos médicos e diminuindo possíveis sequelas. Por exemplo, a quimioterapia.

Considerações finais acerca da visão científica sobre o Reiki

Com a visão científica sobre o Reiki muito bem estabelecida, os pesquisadores provaram como a terapia afeta positivamente a nossa saúde. Por meio do tratamento com o Reiki nós podemos melhorar a nossa qualidade de vida e viver com mais liberdade. Afinal, todos temos o direito de nos sentir bem conosco e mais saudáveis, bem como realizados.

A longo prazo, o Reiki costuma proporcionar uma transformação no modo de perceber a vida e agir diante dela. Logo, a terapia é uma oportunidade genuína para qualquer pessoa ser capaz de criar mudanças em seu bem-estar e futuro.

Em vista disso, que tal você se inscrever em nosso curso online de Reiki e comprovar por si os benefícios desse conhecimento. Além de aprimorar o seu autoconhecimento, o curso servirá trará à tona o seu potencial interno e capacidade de realização pessoal. Descubra como você pode transformar o seu modo de viver e veja os resultados formidáveis que a visão científica sobre o Reiki já comprovou.

Leia também:  Massagem Reiki e diferença para outras massagens

1 Comentário

  • Achei maravilhoso o entendimento q tive sobre a explicação citada acima.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *