Posição dos Chakras: onde ficam os sete chakras

posição dos chakras

O Reiki, procedimento terapêutico originário do Japão, é uma arte terapia que utiliza o poder da imposição das mãos. Ademais, utiliza a energia liberada por elas tem poder de cura física, mental e espiritual.Para isso, são utilizados alguns sinais do Reiki. Cada sinal corresponde a um Chakra e possui seu significado específico. Por sua vez, cada um possui uma cor e cada posição dos chakras fica em uma região específica do corpo humano.

Tanto no Reiki como no Yoga, há interpretações complementares sobre o assunto. Sendo assim, vamos contextualizar todo esse universo, as posições dos chakras e suas peculiaridades. Confira a seguir!

Os Chakras

Os chakras estão alocados em nossa coluna vertebral. Eles são círculos energéticos que canalizam nossa energia vital. Ao todo, são sete. Individualmente, os chakras possuem cor própria e significado peculiar.

Cada um, conforme sua função, realiza a condução de sua energia movimentada através dos meridianos. Essa energia se propaga de maneira ondular, como as ondas solares. Ademais, fazem a adequação de sentido e rotação de acordo com cada pessoa.

Em suma, cada pessoa se desenvolve de maneira única e irrepetível, ainda que a posição dos chakras seja a mesma. Quanto menor for a velocidade de movimentação dos chakras, menor e mais complexa será a evolução do indivíduo.

As posições dos chakras

Seguindo esse contexto das características individuais, desenvolvimento particular e irrepetível, os sete principais chakras possuem suas peculiaridades. Assim, por esse motivo, sua representação se relaciona com uma posição específica.

A posição dos chalras está diretamente relacionada às partes e órgãos presentes em nosso corpo. Outrossim, cada chakra não se limita a uma única função e pode se moldar ao estado emocional e características comportamentais momentâneas.

Desta forma, de maneira a evidenciar e dar um ponto de partida para o discernimento das posições dos chakras, serão resumidos os sete principais e suas posições. Confira a seguir!

Muladhara, o chakra básico

Este chakra está posicionado em nossa coluna vertebral, ao final dela. Ele se liga aos rins, à própria estrutura vertebral e às glândulas que controlam a produção hormonal do corpo.

O vermelho identifica a cor do Muladhara, inicialmente. Esta cor possui característica intensa. Este chakra auxilia no combate ao desânimo, ao mau humor e à sensação de derrota. Ademais, desperta a vitalidade, a coragem e a superação.

No entanto, se este chakra estiver em desequilíbrio, virão à tona sensações frustrantes e o amargor de qualquer falta de sorte. Quem observa esse desalinhamento também sente uma limitação quanto às práticas comuns da vida e possíveis realizações.

Swadhistana, o chakra umbilical

Sendo assim, nesta segunda colocação, citamos o chakra posicionado à altura da pélvis. Ele controla o sistema reprodutivo e as glândulas que o regem, controlando, assim, o desejo sexual.

O laranja representa o Swadhistana, inicialmente. Esta cor possui como características o destemor, a coragem para superar desafios e a concentração em atingir os resultados desejados. A determinação também é um ponto forte.

No entanto, se este chakra estiver em desequilíbrio, a pessoa experimentará sensações de deficiência no despertar da libido e do desejo sexual. Outra consequência são as confusões relacionadas ao enfrentamento de desafios, que surgirão de maneira impositiva.

Manipura, o chakra do plexo solar

Em terceiro lugar, citamos o chakra posicionado à altura do pâncreas. Ele fica próximo às glândulas pancreáticas que exercem controle sobre o sistema digestivo. Ou seja, controla a absorção proteica e de carboidratos e gorduras.

O amarelo identifica o Manipura, inicialmente. Esta cor possui como características a visão, estratégia, invenção e destaque. Assim como o ouro, essa cor traz consigo as sensações de nobreza e a superioridade.

Leia também:  Chakras desalinhados: quais doenças e como alinhar

No entanto, se este chakra estiver em desequilíbrio, aparecerão as sensações de deficiência ao se expressar, se impor diante de situações adversas e dificuldades quanto a autoestima. Assim, esse desequilíbrio abala todo o sistema.

Anahata, o chakra cardíaco

Em quarto lugar, citamos o chakra que está à altura do Timo, próximo às glândulas que estimulam nosso sistema imunológico. Ele é responsável por combater doenças e promover a auto recuperação.

A cor que identifica o Anahata, inicialmente, é a cor verde. Essa é uma cor que traz esperança, calma e equilíbrio. Esta cor auxilia também na excitação de trazer à tona toda positividade do ambiente para dentro de si.

No entanto, se este chakra estiver em desequilíbrio, as sensações de angústia se acentuam. Ademais, fazem surgir ou fomentam situações-problema relacionadas a relacionamentos conjugais, irritação e baixa autoestima.

Vishuddha, o chakra laríngeo

Em quinto lugar, citamos o chakra posicionado à altura do pescoço, na região da tireóide. Esse órgão produz glândulas que exercem controle sobre o sistema hormonal. Assim, afeta nossa capacidade de socialização, expressão e autocontrole.

Azul é a cor que o identifica. Normalmente, essa cor transmite equilíbrio e concentração. Ademais, ela relembra a capacidade de descansar, de repousar o corpo e renovar as boas energias ao redor.

No entanto, se este chakra estiver em desequilíbrio, as sensações de deficiência ao despertar aparecem. Ademais, junto com ela, vem a falta de clareza para tomar de decisões. Outros problemas que aparecem são o cansaço desmedido, a falta de segurança e os problemas respiratórios.

Ajna, o chakra frontal

O sexto chakra fica no meio do nosso cérebro, entre seus extremos. Em meio às sinapses nervosas, ele atua gerando maior assertividade estratégica, motora, cognitiva e intelectual.

De acordo com as cores dos chakras, a cor que identifica o Ajna, inicialmente, é a cor índigo. Como fica no cérebro, este chakra estimula paz e transcendência astral. Ou seja, trata daquilo que é leve e intuitivo.

Numa situação de desequilíbrio, os acontecimentos do presente sofrem com profunda frieza, falta de empatia e de apego. A pessoa passa a recordar algumas aflições, alucinações. Contudo, sofre também com a perda de memória.

Sahasrara, o chakra coronário

Em sétimo lugar, citamos o chakra que fica no topo da cabeça, próximo à glândula pineal. Essa glândula regula a produção de melatonina. Ademais, transporta hormônios pelo sistema sanguíneo.

A cor que identifica o Sahasrara, inicialmente, é a cor violeta. Esta cor possui características que fazem referência ao lado positivo do oculto. Ela refere à mística que circunda os vastos campos ligados às crenças, à fé e às emoções positivas.

No entanto, se este chakra estiver em desequilíbrio, o que notamos é o aumento das críticas desmedidas, sobretudo ao sobrenatural, ao místico e à fé. Essas críticas surgem quase que de uma forma cética e preconceituosa. Você se torna uma pessoa ácida e tendenciosa à depressão.

Considerações Finais sobre a posição dos chakras

Um dos melhores aproveitamentos do Reiki é o equilíbrio das energias que se ligam à posição dos chakras. Esse cuidado traz muitos benefícios para a sua saúde. Dessa forma, você se torna uma versão melhor de você mesmo; pronta, focada e efetiva.

Ademais, é importante saber qual é o seu chakra dominante. Para isso, há diversos testes gratuitos e online para a realização de cálculos, considerando respostas do seu cotidiano. Com essas informações, você descobrirá o seu chakra raiz.

Leia também:  O que são símbolos do Reiki?

Por fim, para aprofundar-se e se destacar, através da prática do Reiki, inscreva-se em nosso curso de reiki 100% online . Com ele, torne-se um mestre, isto é, um profissional certificado. Você vai transformar a sua vida e a de muitas pessoas ao saber manipular a energia reiki e a posição dos chakras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *